INFORMAÇÕES

NOTÍCIAS DO SUL DO PARÁ, TOCANTINS, MATO GROSSO E MARANHÃO

segunda-feira, 8 de junho de 2009

Águia de Marabá rebate salários altos

Uma polêmica vem tirando o sono do presidente do Águia de Marabá, Sebastião Ferreira Neto, o “Ferreirinha” (foto) . Informações extraoficiais davam conta de que o Azulão estaria “esbanjando” dinheiro no que se refere aos salários dos jogadores. Somente um atleta do clube estaria ganhando a “bagatela” de R$ 20 mil por mês para atuar na temporada 2009. Na verdade, o Águia passa por uma “turbulência” financeira. Sem ajuda da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e da Futebol Brasil Associados (FBA), os aguianos estariam contando somente com ajuda dos patrocinadores do clube para arcar com as altas despesas do Campeonato Brasileiro da Série C.
A situação é tão complicada que Ferreirinha não pensa em trazer nenhum reforço para o restante da Terceirona. A política utilizada é de “pés no chão”. Salários em dia seria o sinônimo dos bons resultados colhidos na competição nacional. A folha salarial do Águia – incluindo atletas e comissão técnica –, estaria na faixa dos R$ 120 mil.
O jogador que receberia o salário de R$ 20 mil por mês no Azulão seria o volante Marabá, que se recupera de uma cirurgia no ombro direito e voltou à sua terra natal para ajudar o clube a buscar o objetivo da Série B de 2010. O mandatário máximo desmentiu a informação. “Isso é um absurdo. Nunca no Águia pagaríamos esse valor para um jogador. É até bom esclarecer isso, porque o Marabá chegou aqui não como medalhão, mas porque queria ajudar o clube”, disse Ferreirinha.
Curiosamente, é a terceira menor entre os clubes paraenses em atividade. O Paysandu tem gastos com o seu time de R$ 250 mil – mais que o dobro com relação aos marabaenses -, enquanto que o São Raimundo, na Série D, alcança a cifra de R$ 170 mil.