INFORMAÇÕES

terça-feira, 2 de junho de 2009

ARTIGO - É discriminação sim


Por Maycol Mundoca - de Redenção -Pará - Brasil

Eu estou muito triste com a mídia nacional. Sim a minha opinião a respeito dela nunca foi boa, em geral a TV brasileira, por exemplo, é formada por noticiários de baixíssima qualidade e de um potencial cultural decrépito. Para mim a mídia nacional é uma sogra fofoqueira que só traz noticia ruim e resumo de novela.
E acho mais. Acho que nem um lugar do mundo sofre tanto com essa mídia como o estado do Pará, a discriminação com o nosso estado é perceptível, é enorme. Por exemplo, aposto que você já ouviu falar do Massacre de Carajás? Mas eu nunca ouvi eles falarem que as exportações do Pará correspondem a US$ 4,8 bilhões e que as importações são de apenas US$ 404,4 milhões. Não estou dizendo que a negatividade tenha que ser ocultada, mas é estranho que não saia nada de bom.
Responda sem meias palavras quando você está na cozinha e escuta na sala a TV noticiar a respeito de pistoleiros, de invasão de terra, de desmatamento... Qual é o primeiro Estado que lhe vem a cabeça?Pouco se vê falar, por exemplo, que nós somos ricos no extrativismo mineral, que a nossa regiao é riquissima em ferro, bauxita, manganês, calcário, ouro, estanho.
Pouco se fala que o Pará é referencia na agricultura, na pecuária. Aposto que você nao sabia que o Pará é o maior produtor de pimenta-do-reino do Brasil, e está entre os primeiros na produção de coco da Bahia e banana. São Félix do Xingu é o Município com maior produção de banana do País.
Do fórum que foi incendiado todo mundo ouviu falar.Não se vê falar que o sudeste do nosso Estado, possui um rebanho calculado em mais de 14 milhões de cabeças de bovinos. Não se vê falar no polo moveleiro que existe instalado no Município de Paragominas.
Da baixa qualidade da saúde, dos bebês que morreram, todo mundo ouviu falar.
Você ja ouviu falar que Barcarena é um grande produtor de alumínio, e sedia uma das maiores fábricas desse produto no mundo.Você sabia que o Pará mantém uma trajetória de crescimento no PIB acima da média nacional, desde o ano de 1998.
E das últimas enchentes. Do aliciamento de menores. Da pedofilia. Da mãe que vendia a filha por R$ 500. Vendia por latinha de cerveja você ouviu falar, não?
Você sabia que a praia de Alter-do-Chão é a melhor praia de rio do Brasil? Não você nunca ouviu falar, quase ninguém sabe disso. Agora deixa acontecer um escândalo aqui no Pará pra você ver se não ecoa no Brasil inteiro.
Eu estava pensando em terminar a crônica mais ou menos assim: “a respeito dos últimos eventos na Câmara Municipal de Redenção; prefiro não comentar!”. Aquele bordão da Copélia, do programa “toma lá da cá” lembram? Mas, não. Eu quero comentar sim. Quero palpitar também.
Pois é, de repente o país inteiro resolveu moralizar, resolveu crucificar aquelas pobres mulheres, que quiseram sair da monotonia sexual. Pra mim pouca vergonha maior acontece diariamente em Brasília com os nossos direitos, com a nossa grana, com as nossas leis. Pouca vergonha maior acontece na política nacional, na política estadual e na política municipal. E nós fechamos os olhos, calamos a boca e tapamos os ouvidos.
Pra mim elas excederam, extrapolaram um “pouquinho” e isso é ruim pra imagem de Redenção. Mas aí caímos na seguinte pergunta: que imagem tem Redenção? Porque os pontos positivos da nossa cidade, as vantagens e as qualidades da nossa região nunca foram e pra mim nunca serão reconhecidas, nunca serão mostradas. Nós nunca passaremos de um bando de tupiniquim aos olhos da mídia nacional. Nós sempre seremos uma terra de posseiros, de índios e de prostituição.
No caso da Câmara, pelo menos saímos no fantástico. Enfim estamos todos no mesmo tacho...
Então pra que não se fale mais nisso, vou terminar com um trecho da célebre música do Chico Buarque: “não existe pecado do lado de cá do equador”. E fim de papo.