INFORMAÇÕES

quinta-feira, 15 de abril de 2010

Criação do Estado de Carajás ganha urgência na Câmara



O plenário da Câmara dos Deputados aprovou, ontem à noite, quarta-feira (14), o regime de urgência para votação dos projetos de decreto legislativo que autorizam a realização do plebiscito para criação dos Estados do Carajás e do Tapajós, a partir do desmembramento do território paraense. Pelo regime de urgência, os projetos serão incluídos na pauta e irão direto ao plenário sem a audiência das principais comissões da Câmara, a de Finanças e Tributação e Constituição e Justiça.
A vitória dos parlamentares defensores da divisão foi emblemática. Tapajós recebeu voto favorável de 265 deputados, somente 51 rejeições e 13 abstenções. Já Carajás teve 261 apoios, 53 votos contrários e 14 abstenções.
Antes da votação, apenas o PSOL indicou a bancada pela rejeição dos projetos. O partido alegou que a tramitação em regime de urgência dos projetos, a seis meses das eleições, poderia provocar uma avalanche de protestos de outras bancadas com a mesma reivindicação, que não tiveram esse tratamento diferenciado. Segundo o deputado Ivan Valente (PSOL-SP), tramitam ainda no Congresso Nacional outros 15 projetos de emancipação.
Entre os demais partidos, o PSDB foi o único que deixou a sua bancada livre para escolher, enquanto todos os outros indicaram o voto favorável à urgência. 'Foi um gesto de civilidade, de respeito à Constituição, que prevê que, para criar um Estado, tem que ouvir a população. O gesto nada mais foi do que definir se cria ou não um novo Estado', comemorou o deputado Giovanni Queiroz (PDT-PA), autor do PDC do Carajás.
Municípios do Estado de Carajás
Abel Figueiredo, Água Azul do Norte, Anapú, Bannach, Bom Jesus do Tocantins, Brejo Grande do Araguaia, Breu Branco, Canaã dos Carajás, Conceição do Araguaia, Cumarú do Norte, Curionópolis, Dom Eliseu, Eldorado dos Carajás, Floresta do Araguaia, Goianésia do Pará, Itupiranga, Jacundá, Marabá, Nova Ipixuna, Novo Repartimento, Ourilândia do Norte, Pacajá, Palestina do Pará, Parauapebas, Pau D´Arco, Piçarra, Redenção, Rio Maria, Rondon do Pará, Santa Maria das Barreiras, Santana do Araguaia, São Domingos do Araguaia, São Félix do Xingu, São Geraldo do Araguaia, São João do Araguaia, Sapucaia, Tucumã, Tucuruí e Xinguara.

Porque Criar o Estado?
Uma economia dinâmica e forte. Um povo cheio de esperanças. Uma região que quer construir o seu próprio futuro. São um milhão e trezentos mil brasileiros que sofrem com deficiências nas áreas de educação, saúde, segurança pública, saneamento, transportes e energia elétrica.
A criação do Estado do Carajás é um projeto que une 38 municípios em busca de desenvolvimento social. Historicamente, a região Sul do Pará é abandonada há mais de um século, esquecida pela capital, distante 500 km em média. Uma distância que nunca permitiu a presença eficaz do poder público.
A população quer avanços em termos de qualidade de vida. Quer poder contar com um ensino superior, com um bom emprego, com estradas dignas, com espaços para cultura e lazer. Quer viver dignamente.
O sul do Pará quer ser uma nova estrela na bandeira do Brasil. Mas não é só isso, nossa gente quer também acreditar na palavra de ordem estampada no nosso símbolo: progresso!
E há bons exemplos para acreditar nesse progresso. Afinal, as últimas regiões a se emanciparem, como Tocantins e Mato Grosso do Sul, são as mais progressistas do ponto de vista sócio-econômico.
Novos estados passam a cuidar melhor das escolas, rede de saúde, infra-estrutura para atuação das empresas, serviços públicos para a população. Sem contar nas novas oportunidades de emprego, que irão ampliar as capacidades sociais e de condições de vida.
E por querer mudar de rumo e conquistar políticas públicas decentes, e resgatar a dignidade humana, há muito perdida, e o resultado disso tudo é que a população do sul e sudeste do Pará deseja, acima de tudo, criar o Estado do Carajás. Para que a comunidade possa ter uma nova vida, recuperando sua identidade e principalmente a sua auto-estima.
Para que a comunidade possa ter uma nova vida, criando sua própria, recuperando sua identidade e principalmente a sua auto-estima.