INFORMAÇÕES

sábado, 10 de abril de 2010

Polícia Civil estoura oficina de armas em Redenção


A equipe do Grupo de Combate ao Crime Organizado (GCCO), de Castanhal, comandada pelos delegados Alberto Teixeira e Samuelson Igaki, estão à frente das investigações sobre o assassinato do coordenador da Federação dos Trabalhadores na Agricultura Familiar (Fetraf), Pedro Alcântara, ocorrido em 31 de março, continua efetuando prisões e apreensão de armas e drogas em Redenção. Ao todo, são 11 prisões e os suspeitos estão custodiados na Delegacia de Redenção, enquanto prosseguem as investigações para elucidar o crime.
Na manhã de sexta-feira (9), para cumprir mandado judicial expedido pelo juiz Fábio Penezi Póvoa, da 1ª Vara Criminal de Redenção, que consta do inquérito que apura a morte do sindicalista, policiais do GCCO e da Delegacia de Conflitos Agrários (Deca), comandados pelo delegado Alberto Teixeira (GCCO), estouraram uma “Oficina de Armas” e prenderam o proprietário, Neilson Ribeiro dos Anjos, o “Cabeludo”, 38 anos, em sua residência na área urbana da cidade. No local foram apreendidas mais de 60 armas - 15 prontas para serem manuseadas e outras desmontadas -, entre elas, pistolas 6.35, escopetas, revólveres e espingardas de variados calibres. “Entre as armas encontramos até uma metralhadora desmontada. Este armamento serviria para fomentar a criminalidade na região”, revela o delegado Teixeira.
Apesar de tentar se defender dizendo que estava providenciando documentação para funcionamento de sua oficina de conserto de armas, Neilson Ribeiro dos Anjos será autuado em flagrante por posse de armamento bélico, confecção e depósito de armas e outros crimes, de acordo com o Artigo 17 da Lei 10.826 do Código Penal Brasileiro. “É uma atividade totalmente ilícita e por ser preso em flagrante, Neilson será autuado na forma da Lei”, afirma o delegado. (Colaboração: João Lopes)