INFORMAÇÕES

NOTÍCIAS DO SUL DO PARÁ, TOCANTINS, MATO GROSSO E MARANHÃO

terça-feira, 31 de agosto de 2010

Conceição: Primeira cirurgia de Fascite palmar é realizada no HRCA


"O Hospital Regional de Conceição do Araguaia vem avançando a cada dia que passa e quem ganha com isso é a população de Conceição do Araguaia e de toda a região sul do estado".

No último dia 27 de agosto, foi realizada no HRCA a primeira cirurgia de Contratura de Dupuytren ou Fascite palmar fibrosante – uma doença que, com a evolução, forma verdadeiros cordões palmares em direção aos dedos, impedindo a extensão normal dos dedos acometidos. É freqüentemente observada nos dedos dos trabalhadores braçais, sujeitos à micro traumas ou vibração constante, mas, como uma espécie de Lesão por esforço repetitivo (LER) atinge também digitadores, publicitários, jornalistas, bancários e todos os profissionais que têm o computador como companheiro de trabalho. Ela não é contagiosa, pois não é causada por bactérias, fungos ou vírus, mas sim por movimentos repetitivos.

João Lopes (50 anos) é jornalista e morador da cidade vizinha de Redenção. Há muitos anos sofria com esse problema e, segundo ele, já havia procurado tratamento em Redenção, Belém e outras cidades, mas, não tinha conseguido.

“Soube que o Hospital Regional de Conceição do Araguaia realizava esta cirurgia e resolvi procurar a direção da Unidade de Saúde para pedir ajuda. Agendei a consulta e após a avaliação médica, foi marcada a cirurgia, sendo realizada com sucesso. Fui muito bem tratado desde que cheguei e a equipe do HRCA está de parabéns. A estrutura do hospital melhorou bastante. Fiquei surpreso com a qualidade dos serviços ofertados aqui. As pessoas precisam saber que o Hospital Regional de Conceição do Araguaia está cada vez melhor”, argumentou João Lopes.

A cirurgia durou em média uma hora. O paciente ficará em repouso durante trinta dias. O médico ortopedista responsável pela cirurgia, Dr. Norberto Garcia, disse a nossa reportagem que a cirurgia de fascite palmar custa em média R$ 10 mil reais e que os paraenses podem realizá-la sem nenhum custo, graças aos crescentes investimentos feitos no HRCA. (Colaboração: Viviane Fialho)