INFORMAÇÕES

NOTÍCIAS DO SUL DO PARÁ, TOCANTINS, MATO GROSSO E MARANHÃO

terça-feira, 28 de setembro de 2010

Floresta: Motoqueiro atropela e mata criança


















Um atropelamento vitimou a pequena Keiliane Resplande, de três anos de idade, e deixou vizinhos e familiares revoltados com um motoqueiro não identificado que no dia 23 de setembro último, às 18h40, atropelou a criança e não a socorreu, fugindo a seguir. A menor de três anos é filha do casal Lindomar S. Resplande e Maria de Lourdes C. da Costa que estão inconsoláveis com o ocorrido. A menina era filha única do casal. A família está revoltada com o ocorrido.

O atropelamento ocorreu quando por um breve descuido da mãe, que reside a Avenida JK no bairro Vila Nova, a criança atravessou a pista asfaltada e uma moto não identificada pegou em cheio a criança que morreu na hora sofrendo traumatismo craniano.

Segundo relato da mãe e de vizinhos que não quiseram se identificar era 18h40, estava começando a escurecer. Há uma versão não confirmada de que duas motos estavam realizando um “racha” e uma delas a que atingiu a criança estava com farol apagado; outra versão diz que foi uma ultrapassagem de uma moto sem farol.

Na cidade de floresta é muito comum motociclistas andarem sem farol ao crepúsculo, principalmente no começo da noite. A família já procurou a polícia para tentar identificar o assassino de duas rodas, mas até agora nada foi elucidado, pois o meliante evadiu-se do local logo após o atropelamento. O incrível é que havia muitas pessoas em um bar próximo de onde aconteceu o acidente.

Antecedentes - Há alguns meses um motociclista morreu num violento choque quando duas motos se chocaram na mesma Avenida JK, próximo ao Banpará, quando um rapaz morreu depois de ter sido arremessado a uma calçada após a trombada batendo violentamente com a cabeça na calçada. Testemunhas afirmam que uma das motos estava com farol apagado, e ambos os motoqueiros estavam sem capacetes e transitavam em altíssima velocidade. Uma jovem perdeu uma das pernas que foi amputada. (Pedro Paulo Barbosa)