INFORMAÇÕES

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Presidente do Águia fala do presente e futuro


Não deu. O Águia de Marabá tentou salvar o triste ano do futebol paraense diante do ABC (RN), pelo Campeonato Brasileiro da Série C. Contudo, após a derrota por 3 a 1 no último domingo (24), o Azulão marabaense também foi privado, assim como o Paysandu, de ascender à Série B. Mas nada de se abater. O presidente do Azulão, Sebastião Ferreira, o Ferreirinha, concedeu entrevista exclusiva ao DOL falando da trajetória do clube em 2010, mostrando que o Águia termina a temporada com um bom saldo. (Gustavo Pêna, DOL)

Diário do Pará: O Águia de Marabá é uma das poucas equipes paraenses que costuma traçar um planejamento visando o próximo ano. Como pensar o clube para 2011 após a desclassificação no Campeonato Brasileiro da Série C?

Ferreirinha: Primeiro vai ter eleição para presidente do clube em dezembro. Estou pensando e analisando se vou concorrer novamente. Preciso conversar com a minha família e resolver. Mas alguns atletas ainda possuem contrato conosco e vamos ver se eles pretendem continuar.

Diário do Pará: Mas se você for reeleito presidente, quais atletas ficam e quais sairão do clube?

Ferreirinha: Por mim o Águia ficava com todos. O problema é o assédio de outros clubes. São jogadores guerreiros que, mesmo com a falta de estrutura, representaram bem o Águia deixando equipes ‘grandes’ pra trás, como o Fortaleza. A renovação de atletas vai depender da conversa com eles todos.

Diário do Pará: Se formos avaliar, jogadores como o Roma e o Samuel Lopes não renderam aquilo que se esperava deles...

Ferreirinha: Todo mundo conhece o potencial do Roma, mas ele teve problemas de contusão. Não é um mal jogador, só deu azar de chegar na primeira partida e se contundir pra voltar, apenas, nas últimas partidas. Já o Samuel é um bom jogador, foi artilheiro por onde passou. Também teve contusão e não podemos esquecer que é reconhecido nacionalmente por onde passou, como no Grêmio (RS).

Diário do Pará: Após a derrota para o ABC, a torcida marabaense atribuiu o insucesso do clube ao técnico João Galvão, que não consegue conquistar títulos no Águia em três anos de trabalho. Como você avalia essas críticas?

Ferreirinha: O Galvão tem a total confiança da minha parte. Ele não conquistou títulos, mas deu visibilidade ao Águia. E os outros, que nem isso fizeram? Mesmo com as dificuldades, passamos de fase na Copa do Brasil, vencendo o América (MG) e o Fluminense (RJ). Em 2008 não nos classificamos por um gol e ainda teve aquele caso do Duque de Caxias (RJ).

Diário do Pará: Existiam mesmo salários atrasados no Águia?

Ferreirinha: Em 2010 tivemos, sim, salários atrasados, mas ñ não atrapalhou em nada o nosso desempenho na Série C. Acontece que fizemos um planejamento e não contávamos que a CBF não iria bancar as hospedagem e passagem na competição. Ainda trouxemos árbitro FIFA em quase todas as rodadas do Parazão, porque os árbitros daqui estavam nos atrapalhando. Por isso o nosso planejamento ‘furou’, porém os nossos jogadores são guerreiros, que não fizeram ‘corpo mole’ nas dificuldades.

Diário do Pará: Qual a avaliação que você faz do Águia em 2010?

Ferreirinha: Temos apenas 12 anos e conseguimos mais visibilidade. Gostaríamos de ter conquistado o título, mas não foi possível. Fomos vice no Paraense, ficamos entre os oito melhores times na Série C e perdemos para um time com a maior estrutura do futebol do Nordeste, durante a semana 5 mil camisas, problema cascata ídolo deles ai sair, proposta maior. Em 2011 estamos garantidos no Parazão, Copa do Brasil e Série C. Por isso tudo, avalio nosso ano como bom.