INFORMAÇÕES

terça-feira, 19 de outubro de 2010

Violência impera no sul do Pará

Que as autoridades parecem estarem alheias à questão da segurança pública na região sul do Pará, isso não é nenhuma novidade. Mas o fato de uma onda de homicídios estar assolando a região é um tanto alarmante e preocupante. Só em Redenção, do início do mês até agora, já foram registrados mais de quatro homicídios e um sequestro que teve como vítima, a esposa do gerente do banco HSBC.

Entre esses crimes, o mais chocante foi o assassinato covarde e cruel da aposentada Mariana Pereira da Silva, de 74 anos e do neto dela, Henrique Pereira da Silva, de apenas seis anos de idade. Os corpos deles foram encontrados estrangulados, próximo a localidade do “Pebas”, distante sete quilômetros de Redenção. Há suspeitas de que a idosa tenha sido estuprada, já que o corpo dela estava totalmente despido. Apesar da barbaridade, até hoje o crime não foi desvendado pela polícia e, pelo que parece, ficará impune.

Mais recentemente foi o assassinato brutal do empresário Divinaldo Antônio da Silva, 47 anos, que foi trucidado com seis tiros de revólver 38 e dois golpes de facão no peito, por volta das 16 horas da última sexta-feira (15). O crime ocorreu dentro da propriedade rural do empresário, que fica localizada na colônia da Codespar, no município de Santa Maria das Barreiras, a cerca de 200 km de Redenção.

De acordo com um boletim de ocorrência registrado na Superintendência Regional de Polícia Civil, com sede em Redenção, o acusado de praticar o crime é um vizinho da vítima de prenome Renato, que fugiu depois de matar o empresário. O crime teria sido motivado porque alguns carneiros da vítima estariam entrando nas pastagens do acusado.

Divinaldo foi baleado de surpresa e quando agonizava no chão, Renato pegou o facão que a vítima carregava na cintura e lhe aplicou dois golpes profundos na altura do peito.

São crimes que, assim como tantos outros, poderão cair no esquecimento e entrar para a lista de crimes não solucionados, onde ninguém é preso e tudo fica impune.

Esta semana a Câmara Municipal de Redenção encaminhou um documento assinado por todos os vereadores, ao superintendente regional de Polícia Civil, Nicolau Neto e também ao comandante do 7º Batalhão da Polícia Militar, tenente coronel José Sardinha de Oliveira, solicitando esclarecimentos no sentido de saber quais as providências que estão sendo tomadas pelos responsáveis dos órgãos de segurança do município, para inibir as ações dos criminosos e tentar minimizar os graves problemas relacionados à falta de segurança em Redenção e região. (Paulo Carrion)