INFORMAÇÕES

quarta-feira, 3 de novembro de 2010

Jatene precisa conquistar novos aliados na Alepa


Para garantir sua governabilidade a partir do dia 1º de janeiro de 2011, o governador eleito Simão Jatene (PSDB) terá que conquistar novos aliados na Assembleia Legislativa do Pará (Alepa). É que mais da metade dos 41 deputados estaduais eleitos no dia 3 de outubro devem fazer oposição ao governo tucano, já que integravam a coligação de Ana Júlia (PT) nas últimas eleições.

Do total de deputados eleitos, nove são do PT, partido derrotado no último dia 31 e adversário declarado dos tucanos. A coligação de Ana Júlia reuniu nada menos do que 14 siglas e, entre estas, seis tiveram deputados eleitos: PR (4), PDT (2), PSB (2), PV (1), PSC (1) e PRB (1), totalizando outros 11 deputados de oposição. Além disso, o deputado Edmilson Rodrigues (PSol), deve fazer uma oposição independente ao tucano.

A oposição reúne, portanto, a maioria dos deputados e tem força para barrar os projetos de interesse do governo.

BASE ALIADA
Com sete siglas em sua coligação, o PSDB conquistou um número bem menor de cadeiras na Alepa. São seis cadeiras do PSDB, uma do DEM e uma do PMN, totalizando oito assentos. O PSDB deve contar também com o apoio de João Salame, do PPS.

A este total de nove cadeiras, devem ser somadas os três assentos conquistados pelos deputados do PTB, que anunciaram, durante a disputa pelo segundo turno das eleições, seu apoio a Simão Jatene. A base aliada, portanto, seria formada por 12 deputados – não fosse o fator PMDB, que elegeu oito deputados estaduais e deve pender para o lado do governo. Cinco deputados eleitos do PMDB já anunciaram apoio a Jatene, durante o segundo turno das eleições, e os outros três devem seguir a mesma linha.

Apesar desta configuração inicial, muita coisa ainda pode mudar, já que lideranças de alguns partidos, como o PV e o PR, já vêm acenando que poderão trocar de lado e, com o fim do período eleitoral, terão toda a liberdade de fazê-lo. (Fonte: Diário do Pará)