INFORMAÇÕES

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Redenção: Delegado descarta possibilidade de criança ter sido violentada


Delegados Nicolau Neto e Carlos Eduardo

O delegado Nicolau Neto, responsável pela Superintendência da Polícia Civil no sul do Pará, informou nesta sexta-feira (26) sobre o caso da criança, de apenas três meses de idade, que morreu na semana passada no Hospital Regional Publico do Araguaia (HRPA) com suspeita de violência sexual.

Segundo o delegado, após o relato de várias pessoas que foram ouvidas pelo delegado Carlos Eduardo Vieira, que apura ocaso, e também a apresentação de laudos e Raio X, do HRPA, as suspeitas da criança ter sido violentada está sendo totalmente descartada. Segundo o delegado, um Raio X feito na criança algumas horas antes dela ter falecido mostra que não há sinais de ruptura no ânus da criança, nem vestígios de esperma, o que descaracteriza a possibilidade de violência sexual.

Segundo o delegado Carlos Eduardo, quem levantou a conversa de que a criança teria sido violentada, foi uma enfermeira do Hospital Regional, que sem nenhum conhecimento do assunto, falou para a avó da criança, que também por achar que poderia ser verdade, acionou o Conselho Tutelar, e o assunto acabou gerando uma grande confusão.

Segundo o delegado Nicolau Neto, as feridas apresentadas no ânus da criança foram provocadas por uma forte diarréia, que se tornou uma infecção generalizada. O relatório sobre o caso ainda não está encerrado, pois algumas pessoas ainda estão sendo ouvidas.

“O caso não está encerrado, mas tudo leva a crer que não houve violência sexual contra a criança”, finalizou o delegado Nicolau Neto. (Colaboração: Dinho Santos)