INFORMAÇÕES

sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

Pesquisa sobre clubes mais queridos causa polêmica

Quem está perto de passar ou já passou pela aflição do TCC (Trabalho de Conclusão de Curso) conhece o termo 'Metodologia de Pesquisa'. Mas e quem trabalha no ramo? O economista e supervisor técnico do Dieese (Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos), Roberto Sena, fala sobre a pesquisa que apontou o Paysandu como o 20º clube mais querido do Brasil. Nesta pesquisa, não consta a torcida do Remo.

No site do instituto responsável pelo levantamento, o Datafolha, é informado que a pesquisa utilizou amostragem estratificada por sexo com sorteio aleatório de entrevistados, com idade a partir de 16 anos. Ao todo, 2.600 pessoas de 144 cidades brasileiras responderam ao questionário, nos dias 15 e 16 de abril - logo após o último Re x Pa, que terminou 2 a 1 para os azulinos.

No mesmo material, o instituto calcula um nível de confiança de 95% para a própria pesquisa e detalha: 'Se fossem realizados 100 levantamentos com a mesma metodologia, em 95 os resultados estariam dentro da margem de erro prevista'. Esta margem é de dois pontos percentuais para mais ou para menos.

Roberto Sena explica a diferença entre os tipos de pesquisa. 'Neste caso, o Datafolha deixa claro que utilizou a pesquisa por amostragem, ou seja, aquela que faz a pergunta para o entrevistado sem dar opções de resposta. O outro tipo de pesquisa existente é a induzida ou direcionada, que oferece opções para o entrevistado. Particularmente, prefiro a primeira!', ressalta.