INFORMAÇÕES

quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

Delegado diz que morte do vice-prefeito tem conotação de vingança


O delegado José Orimaldo da Silva da Delegacia de Polícia de Xinguara, encarregado de apurar a morte do vice-prefeito de Água Azul do Norte, Osvaldo Rogério de Sousa, o Boca Rica, 67 anos, assassinado com seis tiros nas primeiras horas da noite desta terça-feira (8), em frente à residência dele no distrito Nova Canadá, município de Água Azul do Norte, disse que o crime tem todas as características de vingança, e fora cometido por pistoleiros contratados para fazer o serviço.

Ainda de acordo com o delegado, testemunhas que estão sendo arroladas no inquérito disseram que um indivíduo aparentando ter 45 anos de idade é quem efetuou os disparos no vice-prefeito no momento que este chagava de uma de suas propriedades rurais, já o que pilotava a moto que serviu de fuga, era um jovem de no máximo 17 anos de idade.

Os dois teriam chegado à Nova Canadá por volta das 16h, ficaram parados em um bar localizado bem em frente à casa da vítima aguardado o momento certo para assassiná-la. Durante o tempo que permaneceram no local, jogaram sinuca, e o homem mais velho chegou a beber cerveja. Quando a camionete do vice-prefeito fez o contorno na avenida para entrar na garagem da casa, o individuo mais novo montou na moto, uma Honda Bros vermelha, e ficou de prontidão, enquanto o atirador se aproximou rapidamente e sem dizer uma única palavra disparou seis tiros à queima roupa na vítima que morreu instantaneamente. Depois do crime a dupla fugiu do local sob olhares de várias pessoas, e desapareceu sem ser importunada.

Depois do crime, O corpo de Boca Rica foi trasladado para Xinguara, onde ficou sendo velado na casa de um de seus filhos. Durante o velório muitas pessoas foram prestar solidariedade à família, a maioria de Xinguara e de Água Azul do Norte cidades em que Boca Rica viveu por muitos anos. Seu corpo foi sepultado no cemitério de Xinguara, às 17h30, desta quarta-feira.

O delegado José Orimaldo da Silva, informou que a Secretária de Segurança Pública do Estado, já designou o deslocamento de policiais de várias cidades da região para a zona do crime. Um perito em retrato falado já está vindo de Belém para Água Azul para ajudar no levantamento de provas. Uma guarnição especial da Polícia Militar também deve chegar às próximas horas para ajudar a fechar o cerco aos criminosos.

“Esse foi mais um crime de encomenda, de pistolagem”, disse o delegado José Orimaldo. (Edmar Brito)