INFORMAÇÕES

NOTÍCIAS DO SUL DO PARÁ, TOCANTINS, MATO GROSSO E MARANHÃO

quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

REDENÇÃO: PALESTRA "ENFRENTANDO A TERMINALIDADE DA VIDA"‏

Dois palestrantes – Dr. Carlos Lemes e Evaldo Assumpção - estarão hoje e amanhã na Câmara Municipal de Vereadores de Redenção focando os assuntos: Visão Legal da Terminalidade da vida; a Tanatologia e a Biotanatologia, sua história, sua evolução e sua contribuição para a reumanização dos cuidados com saúde; e Cidadania, ética e a biotanatologia – desafios para a terminalidade da vida.

Programação

Hoje (10/02), das 14:30 às 15:30 – Visão Legal da Terminalidade da vida. Palestrante: Dr. Carlos Lemes.
16:00 às 18:00 – A Tanatologia e a Biotanatologia, sua história, sua evolução e sua contribuição para a reumanização dos cuidados com saúde. Palestrante: Dr. Evaldo Assumpção.

Amanhã (11/02), das 8:30 às 9:30 – Visão legal da terminalidade da vida. Palestrante: Dr. Carlos Lemes.
10:12 – Cidadania, ética e a biotanatologia – desafios para a terminalidade da vida. Palestrante: Dr. Evaldo Assumpção.

Nos últimos anos temos convivido com a vida e a morte com muita frequência, seja pelo que assistimos pelos veículos de comunicação, e, sobretudo pelo que testemunhamos em nossa região, dada a condição socioeconômico e cultural de nossos cidadãos.

Não raras vezes, no exercício de nossas profissões, somos envolvidos em situações que mais parecem filme de aventura do que vida real, que são os casos de óbitos vividos em nossa região, vítimas de violência por arma de fogo e arma branca.
Estas situações nos deixam, por vezes, sem condições de desenvolver um serviço de excelência, pela inexistência de um Instituto Médico Legal e nossa cidade.

Quando não é esta a situação, são os casos rotineiros de óbitos advindos de diversos fatores, dentre eles, a saúde previamente comprometida de nossos usuários, o que também impacta em nossa equipe assistencial, por conviver com a vida e a morte com uma frequência pouco suportável aos cidadãos que possuem sensibilidade para conviver com a dor e a perda dos familiares desses usuários.

Pensando nisso, o Hospital Regional Público do Araguaia irá promover um evento em que a comunidade em geral, e, sobretudo os trabalhadores na área de saúde, poderão parar para aprender sobre a questão legal dos casos de óbito de forma violenta, assim como com os sentimentos que são aflorados ao acompanhar um paciente e ver que, dia a dia, está mais próximo da terminalidade da vida.

Lidar com a dor, com a morte, com a perda, não é fácil para ninguém, tão pouco normal para que os profissionais que convivem com estas situações não necessitem de amparo, orientação e reflexão para restabelecer as energias e continuar a caminhada, buscando prestar o melhor serviço possível aos usuários, acompanhantes e familiares daqueles que buscam no Hospital Regional Público do Araguaia, o lenitivo para sua dor.
A sociedade precisa conhecer também sobre seus direitos de viver com dignidade, e os
deveres, de morrer com honra e humanidade.