INFORMAÇÕES

terça-feira, 18 de outubro de 2011

Conceição: Pai reencontra a filha que havia fugido de casa


Depois de 7 dias de angústia a família da menor Andressa da Rocha Silva, de 14 anos, voltou a sorrir. A apreensão pelo desaparecimento de Andresa ocorrido no sábado, dia 08, só terminou praticamente uma semana depois e o principal responsável pelo desfecho feliz do caso foi o pai da adolescente, Josué Bezerra da Silva, que fez uma verdadeira peregrinação em busca da filha desaparecida.

O enredo dessa história começou com um telefonema errado para o celular da menina há alguns meses. Do outro lado da linha um homem desconhecido e de conversa envolvente, se aproveitou da sua ingenuidade e passou a aliciá-la. Em pouco tempo as conversas se transformaram em promessas e juras de amor. Não sabendo do perigo que estava correndo e nem do sofrimento que isso poderia causar para a família, a menina aceitou se encontrar com o homem desconhecido escondido dos pais.

Depois do seu desaparecimento as ligações para o número do telefone da menina foram rastreadas pelo delegado Marcelo Delgado Dias que descobriu dois endereços cadastros no número que fez as ligações: um na cidade de Marabá e outro no município de Novo Repartimento.

Sem saber onde e nem com quem a menina estava o pai da adolescente saiu de Conceição do Araguaia apenas com os endereços. Após procurar pelo suspeito em Marabá, o pai da adolescente não encontrou ninguém na casa e se convenceu de que a filha estava em Novo Repartimento.

Sem nunca ter pisado na cidade antes, Josué andou praticamente o dia todo e quando já não tinha mais esperança de encontrar sua filha, uma adolescente que o ouviu pedindo informações para uma vendedora ambulante, disse que havia visto a menina com um rapaz e informou onde ele trabalhava.

O suspeito não estava no local, mas seu patrão se dispôs a dizer onde ele morava, com a condição de que o pai não fizesse nada que colocasse sua integridade física em risco. Dez minutos depois, Josué estava diante do homem responsável pelo maior sofrimento de sua família. Emocionado ele abraçou a filha e revelou que precisou se cometer para não agir de maneira impensada e comer algum delito contra o aliciador.

“Senti muita revolta, pois estava diante de uma pessoa que por pouco não destruiu a minha família. Como pai tive vontade de fazer uma besteira, mas lembrei que estava numa cidade desconhecida e não sabia o que poderiam fazer comigo depois. Enquanto eu falava com ele eu olhava para a minha filha e senti alívio por encontrá-la com vida” relatou o pai da menina. (Fonte: Canotícias)