INFORMAÇÕES

NOTÍCIAS DO SUL DO PARÁ, TOCANTINS, MATO GROSSO E MARANHÃO

terça-feira, 24 de janeiro de 2012

Itupiranga: Matador de sindicalista confessou o crime

Edson Dornelas Arantes do Nascimento, de 57 anos, foi ouvido pela justiça na segunda-feira (23), no Fórum da Comarca de Itupiranga. De acordo com denúncias feitas ao Ministério Público, Edson Dornelas é suspeito de matar a tiros, o sindicalista Domingos Santos da Silva, conhecido por Domingão. O crime ocorreu no dia 8 de novembro de 2005, no centro de Itupiranga.

Domingão liderava um grupo de trabalhadores rurais sem terra que havia ocupado uma fazenda de propriedade de Aurélio Anastácio de Oliveira, incluindo uma pequena parte pertencente a Paulo Rosa da Silva “Gordo”. Na época os donos das fazendas deram ordens para que Domingão retirasse os invasores.

Em depoimento, Edson Dornelas disse que foi contratado para matar Domingão, pelos fazendeiros Paulo Rosa da Silva “Gordo” e o filho Paulo Rosa da Silva Júnior “Paulinho”.

Na presença da juíza Sara Augusta Pereira de Oliveira e da promotora Lílian Viana Freire, Edson Dornelas confessou que aceitou matar Domingão por R$ 10 mil.
A justiça também descobriu que Edson Dornelas Arantes do Nascimento, na verdade é Francisco José de Queiroz. Questionado pela promotora, o criminoso disse que seu nome foi trocado na delegacia de Goiânia, em Goiás.

Para o Ministério Público, a cabeça de Domingão já estava a prêmio por dois pistoleiros contratados por Aurélio Anastácio de Oliveira. Ainda segundo o Ministério Público, antes que os dois pistoleiros chegasse a Itupiranga, Francisco José de Queiroz, se infiltrou no meio dos sem terra a matou o líder sindical, na porta de sua própria residência.

O pistoleiro Francisco de Queiroz também confessou que responde por um homicídio praticado na cidade de Altamira, no Pará. Francisco José de Queiroz está preso há mais de dois anos, no presídio em Belém.

O pecuarista Paulo Rosa da Silva “Gordo” morreu há quatro anos quando estava preso em Belém. Já seu filho, Paulo Rosa da Silva Júnior, foi assassinado a bala no centro de Itupiranga em fevereiro do ano passado. Crime que até agora não foi desvendado pela justiça. (Juscelino Ferreira)