INFORMAÇÕES

NOTÍCIAS DO SUL DO PARÁ, TOCANTINS, MATO GROSSO E MARANHÃO

sábado, 25 de fevereiro de 2012

Redenção: Construção civil revela fragilidade na segurança dos trabalhadores


Sem ter a quem recorrer e por não ter um sindicato da categoria que os defenda e cobre pelos seus direitos de segurança no trabalho, trabalhadores da construção civil em Redenção, diariamente arriscam suas vidas nos andaimes altos das construções de diversos prédios que estão sendo construídos na cidade, sem utilizar qualquer equipamento de segurança em total desrespeito à vida. Quatro trabalhadores trabalham na obra do reboco de um prédio no centro da cidade.

O prédio que está sendo ampliado na Avenida Brasil, fica localizado no Centro Comercial de Redenção, a cerca de três quadras do escritório do Conselho Regional de Engenharia e Ambiente-CREA e a poucos metros do prédio do Ministério do Trabalho, que seriam os órgãos fiscalizadores das condições de riscos dos trabalhadores.
Dos quatro trabalhadores, dois estavam a uma altura de cerca de 10 metros de altura, em cima de um andaime de ferro sem nenhuma grade proteção ou cinto de segurança. Essas cenas são comuns de serem vistas nas dezenas de obras que estão sendo construídas na cidade.

De acordo com o pedreiro Geraldo da Silveira, a maioria das obras em Redenção são contratadas por mestres de obras que contratam os pedreiros para fazerem o serviço, desta forma os trabalhadores ficam impossibilitados de cobrar equipamentos de segurança, como botas de borracha, capacetes, luvas, andaimes com tela de proteção e outros equipamentos exigidos pelo sindicato da categoria das grandes capitais.

Sem haver uma cobrança dos órgãos fiscalizadores os trabalhadores seguiram no trabalho que garante o sustento de seus familiares, sem se dar conta do grande perigo. (Reportagem: Dinho Santos)