INFORMAÇÕES

terça-feira, 19 de junho de 2012

Itupiranga: Filha que foi doada reencontra mãe biológica 15 anos depois

"Karina Dourado de Moraes, de 15 anos, realizou o sonho de conhecer sua mãe biológica, Sandra Maria Brito de Oliveira, que doou a filha Karina, quando tinha 11 dias de nascida".

Sandra Brito e a filha Karina no momento do reencontro


Karina Dourado entre os pais adotivos, João de Souza e Francisca Dourado


Tudo aconteceu em 02 de dezembro de 1996, dia em que Karina Dourado nasceu. De acordo com um cadastro encontrado Hospital Municipal de Itupiranga, Karina nasceu no dia 02 de dezembro de 1996 e foi doada pela mãe biológica com 11 dias de nascida a uma família desconhecida.

As investigações e divulgação continuaram com o apelo feito pelo radialista Juscelino Ferreira, com o apoio do funcionário da Secretaria de Saúde do município, Cezar Augusto, que também se empenhou no assunto. Depois de divulgar e fazer apelo por várias vezes na rádio Sociedade FM, de Itupiranga, o radialista conseguiu descobrir que Sandra Brito morava no município de Itupiranga.

“Com o apoio de Jeane Dourado, irmã adotiva de Karina, conseguimos o contato e descobrimos que Karina ganhou o nome de Ana Paula quando nasceu, mas quando registrada pela família que a adotou, recebeu o nome de Karina Dourado de Moraes, fato que dificultava mais ainda o reencontro de mãe e filha”, disse Juscelino.

O reencontro de mãe e filha aconteceu na Praça Duque de Caxias, Velha Marabá no último dia 16, onde Sandra Brito foi recebida pela família adotiva de Karina. Na verdade Karina Dourado foi adotada e criada pelo casal João de Souza Dourado, 67 anos, e Francisca Dourado de Moraes. Segundo Francisca Dourado, ela e a família nunca negaram para adolescente que Karina era filha adotiva, tanto é que toda família deram apoio a jovem para que pudesse encontrar a mãe biológica.

A emoção foi grande e quando as duas se encontraram o choro foi inevitável da parte de mãe e filha.

Sandra Brito confirmou que Karina é realmente sua filha. Questionado porque ela doou a criança, Sandra disse que foi devido à condição financeira, porém reconheceu que nunca mais fará o mesmo.

Para Sandra Brito, a mulher que ela entregou a menina, na época não é Francisca Dourado, mas não soube dizer o nome da mulher que recebeu Karina das suas mãos na época.

Sandra agradeceu ao radialista, a Secretaria de Saúde de Itupiranga e a imprensa de modo geral. Para Juscelino Ferreira, foi mais uma missão realizada com sucesso, mas falta encontrar o pai biológico de Karina, que se chama Adelson Pessoa Marques. (Juscelino Ferreira).