INFORMAÇÕES

quarta-feira, 1 de agosto de 2012

Quadrilha que agia no Pará é presa em Tocantins


Na manhã de terça-feira (31), a cidade de Colinas, no Estado do Tocantins, foi alvo de uma operação policial que resultou na prisão de três integrantes de uma quadrilha interestadual responsável pelo roubo de caminhonetes, especialmente na região sul do Pará. Com eles, foram apreendidos uma pistola com carregador, além de dois revólveres municiados.

O grupo criminoso é responsável pelo roubo de pelo menos três caminhonetes na região sul do Estado. Todos os crimes foram cometidos durante o mês de julho nas cidades de Redenção e Pau D'Arco. “Os roubos sempre ocorriam com uso de arma de fogo e forte intimidação e violência às vítimas. Em um dos casos, existiam crianças de colo e até uma idosa dentre as vítimas e, mesmo assim, a quadrilha não os poupou das ameaças e intimidações”, descreve a delegada Gláucia Cristo.

Após o registro das ocorrências a delegada iniciou a apuração dos casos, em conjunto com o Núcleo de Apoio à Investigação (NAI) de Redenção, o que possibilitou a identificação dos integrantes da quadrilha a partir do reconhecimento pelas vítimas. A investigação apontou que a quadrilha roubava os carros em um Estado e os levava para outros, a exemplo do Tocantins, onde funcionava um desmanche para revenda de peças. Dentre os veículos roubados e que a Polícia Civil do Pará conseguiu recuperar estava uma caminhonete, ainda intacta, encontrada em uma propriedade rural nos arredores de Redenção. O veículo já foi entregue ao proprietário.
A operação teve início no último dia 24, quando houve a prisão do primeiro integrante da quadrilha, em Redenção. "Diego Santos Delacosta foi encontrado e preso em via pública, na cidade de Redenção. Já Diego 'Feijão', como é conhecido, foi reconhecido por uma das vítimas e na quadrilha tinha a função de intermediar a destinação dos carros roubados, sua retirada do Estado e desmanche final”, detalha o o delegado Lucio Flavio Filho, titular do NAI. Após a prisão de Diego 'Feijão', os trabalhos se voltaram para a localização e prisão dos demais integrantes da quadrilha. “Com a divulgação da prisão na imprensa recebemos a colaboração da população, que através do Disque-Denúncia informou o paradeiro dos demais membros do bando”, conta o delegado.


Foi também por meio das denúncias recebidas que a Polícia Civil chegou ao paradeiro do restante da quadrilha, que havia fugido para o Tocantins, mais precisamente para a cidade de Colinas, onde foram presos na última terça-feira. No Estado vizinho foram presos José Helton Bertoldo Nunes ('Heltinho'), Ricardo Santos Pereira ('Gordo') e um adolescente de 17 anos. O grupo estava escondido em uma casa localizada na Rua 7. “O que chamou a atenção na investigação foi a audácia da quadrilha, já que a casa fica a menos de cinquenta metros do Fórum e do Ministério Público da cidade”, comenta o delegado.


A prisão do grupo aconteceu no momento em que eles deixavam a residência para seguir rumo à cidade de Couto Magalhães. "Retardamos ao máximo a prisão do resto do bando à espera do momento certo, o que ocorreu quando os três estavam reunidos, e de posse das armas, preparando-se para roubar mais um veículo em Couto Magalhães. Dessa vez o alvo era a caminhonete de um fazendeiro local. No momento da abordagem, não houve tempo para reação dos criminosos", detalha o delegado Lucio Flavio. O trio foi preso com uma pistola, um carregador e dois revólveres municiados.


Segundo o delegado Lucio Flavio, “a prisão dos membros da equipe foi o resultado final de um trabalho de investigação bem feito desde o início, graças aos levantamentos iniciais da delegada Gláucia Cristo, de Redenção”, reconhece. O Diretor do Núcleo de Inteligência Policial, delegado Cláudio Galeno, responsável pela operação, destaca que "a prisão só foi possível graças à ação integrada com a Polícia Civil do Tocantins, cujo auxílio foi imprescindível para o sucesso da operação e desmantelamento da quadrilha. (Agência Pará/Diário do Pará)