INFORMAÇÕES

NOTÍCIAS DO SUL DO PARÁ, TOCANTINS, MATO GROSSO E MARANHÃO

quinta-feira, 20 de dezembro de 2012

São Félix do Xingu: Quadrilha que articulava assaltar banco é presa

Uma quadrilha formada por cinco assaltantes de banco foi presa, na quarta-feira (19), em São Félix do Xingu, e foi transferida na quinta-feira (20) para Belém. Eles foram presos em operação conjunta do Núcleo de Apoio à Investigação (NAI) de Redenção, sob a coordenação do Núcleo de Inteligência Policial, com apoio de policiais civis do GPE (Grupo de Pronto-Emprego).

Com os presos, foram apreendidas uma espingarda calibre 12 de repetição; um fuzil mosquefal calibre 7.62; uma metralhadora calibre 9mm com silenciador; quatro cartuchos de calibre 12 e um carregador de pistola calibre .40. As armas e munição estavam em uma chácara pertencente a um índio, localizada a cerca de 62 quilômetros de São Félix do Xingu. As armas e munições estavam enterrados no meio da mata.

O NAI de Redenção investigou o crime de extorsão mediante sequestro ocorrido em 12 de novembro deste ano, em São Félix do Xingu, onde foi vítima um gerente bancário e seus familiares. A vítima foi obrigada a retirar dinheiro no Banco do Brasil, como forma de pagamento do resgate dos familiares, na modalidade conhecida como “sapatinho”. Após ação rápida e integrada das Polícias Civil e Militar, foram presos oito homens envolvidos no crime. Eles já haviam participado de outro assalto contra agência bancária, em 6 de julho deste ano, na modalidade conhecida como “vapor”, em Tucumã.

Na continuidade das investigações, a equipe de policiais do NAI de Redenção e do Grupo de Pronto Emprego deslocou-se, no último dia 18, para São Félix do Xingu, onde o restante da quadrilha foi encontrado. “Eles já se preparavam para executar nova ação criminosa, possivelmente um assalto à agência bancária de São Félix do Xingu, bem como foi descoberto um planejamento avançado para explodir caixas eletrônicos no município de Água Azul do Norte”, explicou o delegado Cláudio Galeno.

Os presos permanecerão recolhidos na capital à disposição da Justiça.