INFORMAÇÕES

quarta-feira, 20 de março de 2013

Redenção: Audiência discute implantação da Unifespa

Vanderlei discursa durante reunião
Durante audiência pública realizada na última sexta-feira (15), na Villa Country entre Prefeitura de Redenção e representantes do Governo Federal, ficou decidido que, embora o município não consiga a implantação imediata de um Campus da Universidade do Sul e Sudeste do Pará (Unifespa), Redenção será beneficiada com um Centro de Educação, que irá disponibilizar cursos superiores gratuitamente.
De acordo com o prefeito Vanderlei Coimbra (PRP), em 2012 vários municípios da região fizeram manifestações para terem implantados em seus domínios um Campus da Unifespa, mas a equipe da prefeitura que administrava a cidade, não se empenhou para conseguir a implantação da universidade e Redenção acabou ficando de fora do planejamento do Ministério da Educação. “O nosso objetivo é fazer uma educação de qualidade. Portanto, vamos continuar lutando pela implantação dessa universidade em Redenção”, afirmou Vanderlei.
O deputado federal Cláudio Puty (PT), que acompanha esse drama vivido por Redenção e que também esteve presente na audiência a convite do secretário de Educação Manoel Messias, o “Zagaia”, disse não ter acreditado quando soube que a gestão passada havia recusado o Campus da Unifespa. “São Félix do Xingu, Xinguara, Santana do Araguaia, Marabá e Rondon do Pará aceitaram”, frisou.
Entretanto, para que os alunos de Redenção não fiquem no prejuízo, principalmente os que estão concluindo o Ensino Médio e pensam em fazer uma faculdade, Puty se comprometeu a conseguir recursos para construir um Centro de Educação em Redenção, que funcionará como uma extensão da Unifespa, até que um campus passe a funcionar de forma definitiva no município.
Isso foi sugerido também pelo reitor pro tempore da Unifespa, Maurílio Monteiro. Segundo Monteiro, não foi incluída a construção do Campus da Unifespa em Redenção por uma série de motivos, sobretudo a negligência, e que a construção do Centro de Educação em parceria com a prefeitura, que deverá começar a funcionar em 2014, vai amenizar o problema. (Paulo Carrion - Assessoria de Comunicação)


Redemption: Hearing discusses deployment of Unifespa
During the public hearing held last Friday (15), Country Villa in City Hall between Redemption and Federal Government representatives, it was decided that, although the city did not get the immediate deployment of a University Campus South and Southeast of Pará ( Unifespa) Redemption will benefit with an education center, which will provide college courses for free.
According to the mayor Vanderlei Coimbra (PRP) in 2012 several municipalities in the region did demonstrations to have implanted in their domains of a Campus Unifespa, but the team who ran the town hall, it strove to achieve the implementation of the university and Redemption ended up getting out of the planning of the Ministry of Education. "Our goal is to make quality education. Therefore, we will continue fighting for the implementation of this university in redemption, "said Vanderlei.
Congressman Claudio Puty (PT) accompanying this drama for Redemption and who was also present at the hearing at the invitation of Secretary of Education Manoel Messias, the "Zagaia" said he did not believe when I heard that the last administration had refused Campus Unifespa. "São Félix do Xingu, Xinguara, Santana do Araguaia, Maraba and Rondon do Pará accepted," he said.
However, for students of Redemption are not on prejudice, especially those who are completing high school and thinking about going to college, Puty pledged to secure funds to build an education center in Redemption, which will act as an extension of Unifespa until a campus go to work permanently in the city.
This was also suggested by the rector pro tempore of Unifespa, Maurilio Monteiro. According to Monteiro, was not included in the construction of the Campus Unifespa on Redemption for a number of reasons, mainly to negligence, and that the construction of the Education Center in partnership with the city, which should start operating in 2014, will alleviate the problem . (Paul Carrion - Office of Communications)