INFORMAÇÕES

sexta-feira, 28 de junho de 2013

Sistema prisional do Pará é caótico

Presídio de Redenção está superlotado
Estudo divulgado ontem pelo Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) sobre o sistema prisional brasileiro revelou a realidade precária das cadeias paraenses que, abarrotadas, mantém 57% mais presos do que a capacidade máxima que comportam.
Os estabelecimentos prisionais de ambos os sexos no Estado, mas em celas separadas, por exemplo, têm capacidade para 603 pessoas, mas já possuem 1.065 presos em todos os regimes.
Nas cadeias exclusivas para homens a realidade é ainda pior, porque além de estarem superlotadas com 5.470 detentos, número muito superior a sua capacidade máxima (3.511), ainda mantém 56 mulheres presas, quantidade 47% superior ao número que essas cadeias poderiam comportar (30).
O Estado possui, segundo o levantamento, 38 estabelecimentos prisionais.

Em Redenção, o presídio foi construído para abrigar 120 presos, mas hoje está com uma lotação de 400 internos.