INFORMAÇÕES

NOTÍCIAS DO SUL DO PARÁ, TOCANTINS, MATO GROSSO E MARANHÃO

terça-feira, 30 de setembro de 2014

Bancos de Redenção estão fechados

Os funcionários dos bancos de Redenção aderiram à greve nacional dos bancários e estão de braços cruzados.

O que para e o que funciona
Carlos Cordeiro, presidente da Contraf-CUT, informou que a greve será iniciada apenas em agências bancárias. Caixas eletrônicos, serviços de teleatendimento e centros administrativos continuam funcionando.

Porém, segundo Cordeiro, existe a possibilidade de estender a greve a outros setores se as negociações com a Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) demorarem. "A nossa greve sempre começa pelas agências bancárias. A cada dia que passa que isso [acordo entre a categoria e os bancos] não ocorre, a greve tende a crescer e atingir setores mais estratégicos", diz Cordeiro.

Reivindicações dos bancários
Os trabalhadores que decidiram pela greve pedem reajuste salarial de 12,5%, além de piso salarial de R$ 2.979,25, PLR de três salários mais parcela adicional de R$ 6.247 e 14º salário. A categoria também pede aumento nos valores de benefícios como vale refeição, auxílio creche, gratificação de caixa, entre outros.

Além do aumento de salário e benefícios, os bancários também pedem melhores condições de trabalho com o fim de metas consideradas abusivas, combate ao assédio moral, igualdade de oportunidades, entre outras demandas. (G1)


Redemption banks are closed

Employees of banks Redemption joined the national strike of bank and are idly.

What to and what works

Carlos Cordeiro, president of counterfeit-CUT, said the strike will be initiated only in bank branches. ATMs, telemarketing services and administrative centers are still functioning.

However, according to Lamb, the possibility exists to extend the strike to other sectors if negotiations with the National Federation of Banks (Fenaban) linger. "Our strike always begins by bank branches. Each passing this [agreement between the category and the banks] does not occur, the strike tends to grow and reach more day strategic sectors," says Lamb.

Claims of bank

The workers decided to strike asking for salary increase of 12.5%, and minimum wage of R $ 2,979.25, three PLR wages further installment of R $ 6,247 and 14th salary. The category also asks higher amounts of benefits like food stamps, daycare assistance, bonus cash, among others.

Besides the increase in salary and benefits, the bank also demand better working conditions in order to targets deemed abusive, combating bullying, equal opportunities, among other demands. (G1)