INFORMAÇÕES

Envie informações para o blog. WhatsApp 99193 6270 ou e-mail: otavioaraujo19@hotmail.com. Otávio Araújo é correspondente da Rádio Clube do Pará para o sul do Pará.

terça-feira, 1 de novembro de 2016

PA: Idoso tenta provar que certidão de óbito feita pela ex é falsa e está vivo

Domingos da Silva teria morrido em 1979, quando ele tinha 26 anos. Aos 63 anos, ele ainda trabalha e quer retomar sua vida perante a justiça.

Em Paragominas, no sudeste do Pará, um maranhense de 63 anos foi vítima de uma fraude. Uma certidão de óbito atesta que Domingos Ferreira da Silva teria morrido quando tinha 26 anos. A Defensoria Pública assumiu o caso para anular o documento falso.

Aos 63 anos, Domingos trabalhou a vida no campo e permanece ativo e com saúde. Atualmente, ele trabalha no quintal da casa em que mora em Paragominas, onde mantém uma rotina agitada reciclando ferro velho.

Certidão falsa
O problema começou há três anos, quando ele precisou tirar a segunda via de um documento. Só então Domingos foi ao cartório e recebeu a informação que estava oficialmente morto.

O atestado foi declarado pela ex-mulher dele, Deusuita Sousa, em 1979, no município de Igarapé Grande, no Maranhão. A certidão de óbito diz que Domingos Pereira da Silva morreu há 37 anos, no dia 20 de maio, às 15h, com febre intestinal. No documento diz ainda que o morto foi enterrado no povoado Banana (MA). (G1/PA)